Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2020 > Março > Governo intensifica diálogo com o setor produtivo para enfrentar efeitos da pandemia

Economia

Governo intensifica diálogo com o setor produtivo para enfrentar efeitos da pandemia

Covid-19

Secretário Carlos Da Costa destaca esforços para buscar soluções convergentes que reduzam o custo da pandemia para a sociedade
por publicado: 26/03/2020 17h05 última modificação: 26/03/2020 17h19

O secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa, intensificou o diálogo com o setor produtivo no enfrentamento da pandemia do coronavírus.  Ele participou de reuniões por videoconferência na quarta-feira (25/3), para encontrar soluções de crédito, preservação de empregos e adiamento de impostos, para que o setor continue produzindo e gerando novos postos de trabalho.

“Tivemos reuniões com vários segmentos dos setores automobilístico, saúde, turismo, medicamentos, bares e restaurantes – junto com o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro, e vários outros –, que estão de maneira corajosa lutando para sobreviver e continuar produzindo. Estamos encontrando soluções convergentes que reduzam o custo para a sociedade neste momento difícil ”, explicou Carlos Da Costa.

25/03/2020 - 1ª Reunião do Conselho Nacional da Amazônia Legal (Videoconferência)

Amazônia Legal

Ainda na quarta-feira, Carlos Da Costa participou da primeira reunião do Conselho Nacional da Amazônia Legal, presidido pelo vice-presidente da República, Hamilton Mourão. O encontro tratou da estruturação, estratégia e ações imediatas do Conselho.

Durante a videoconferência, Carlos Da Costa destacou três temas cruciais do comitê de desenvolvimento sustentável: capital humano, melhoria do ambiente de negócios e desafios para financiamentos públicos e privados. Segundo ele, há muitos entraves para a realização de negócios sustentáveis que ocupem as pessoas da região.

“Esses três itens, pelos nossos estudos, estão no topo das prioridades para destravarmos a região e termos um maior impacto positivo para retirar da miséria as pessoas que vivem em situação de extrema pobreza”, concluiu o secretário.