Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2020 > Março > União cede imóvel para incentivar turismo em Foz do Iguaçu, no Paraná

Economia

União cede imóvel para incentivar turismo em Foz do Iguaçu, no Paraná

PATRIMÔNIO DA UNIÃO

Área do Espaço das Américas será revitalizada; município terá prazo de dois anos para colocar o complexo em funcionamento
por publicado: 16/03/2020 14h21 última modificação: 16/03/2020 17h23

A União cedeu ao município de Foz do Iguaçu, no Paraná, uma área de 7.900m² localizado na margem esquerda do Rio Paraná – Fórum das Américas, que integra o Complexo Turístico do Marco das Três Fronteiras. O repasse da área deverá incentivar o incremento do turismo no município, por meio da revitalização do local, que voltará a funcionar a partir da instalação de novos empreendimentos voltados para atividades de natureza histórico-cultural, cívico e de ecoturismo.

A medida está detalhada na Portaria nº 5.211, publicada na sexta-feira (13/3), no Diário Oficial da União.

Para o superintendente do Patrimônio da União no Paraná, Jean Dolinski, o ato de cessão é decisivo para que as melhorias sejam realizadas. “O complexo turístico de Foz do Iguaçu merece todo o nosso apoio em iniciativas como esta, que valorizam o turismo. Esse ato, literalmente, é um marco no desenvolvimento da região e nas parcerias da União com os demais entes”, enfatizou o superintendente.

O imóvel a ser repassado ao município paranaense é constituído por um terreno de 7.900m² e benfeitorias de 1.223,44m. A cessão terá vigência de 20 anos, prorrogável por igual período. O prazo começará a valer a partir da data da assinatura do contrato de cessão pela Superintendência do Patrimônio da União no Paraná (SPU/PR) e Prefeitura de Foz do Iguaçu. Uma vez formalizada a transferência da área, o município deverá colocar o complexo turístico em funcionamento dentro dos próximos dois anos.

Cessão onerosa

No período que durar a cessão da área, a SPU deverá receber do município o valor anual de R$ 168,9 mil, a título de retribuição pelo uso do imóvel. Esse pagamento deverá ser recolhido diretamente à União em parcelas mensais e sucessivas vencíveis no último dia útil de cada mês, no valor de R$14 mil. O valor anual a título de retribuição pelo uso do imóvel será corrigido a cada 12 meses, conforme a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ou o índice que vier a substituí-lo.

A assinatura do contrato está condicionada à obtenção, pela cessionária, de todos os licenciamentos, autorizações, documentos e alvarás necessários para o funcionamento do empreendimento. Assim que for convocada pela SPU/PR, a prefeitura tem um mês para realizar todas as providências previstas na legislação e assinar o contrato de cessão, para que não haja risco de revogação da portaria.