Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2019 > Agosto > Governo vai usar drones para fiscalizar uso irregular de áreas da União

Economia

Governo vai usar drones para fiscalizar uso irregular de áreas da União

Patrimônio da União

Servidores da SPU concluem hoje treinamento para operar equipamentos e analisar as imagens
por publicado: 30/08/2019 14h09 última modificação: 02/09/2019 19h06

A fiscalização de áreas da União ganhou reforços. Agora, a Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União do Ministério da Economia (SPU/ME) vai utilizar drones para mapear áreas que pertencem ao governo federal. 

27/08/2019 - Capacitação para uso dos drones

 Os equipamentos serão utilizados para fiscalizar e combater o uso irregular de áreas urbanas, de praia, margens de rios, terrenos de marinha e espelhos d'água, dentre outros bens públicos de propriedade da União.

Capacitação
Desde segunda-feira (26), estão sendo treinados para operar com drones servidores da unidade central, em Brasília (DF), e das superintendências da SPU nos estados e no DF. O curso também vai ensiná-los a processar as imagens obtidas pelos equipamentos.

“Com os drones podemos fiscalizar áreas maiores e ter imagens mais precisas, além de ampliar o campo de visão do fiscal”, explica Rodrigo Trajano, coordenador-geral de Fiscalização e Controle de Utilização do Patrimônio. Segundo ele, os aparelhos possibilitarão, também, aumentar o número de fiscalizações em todo o país.

Para Rafael Raulino, analista de Infraestrutura da SPU no Rio Grande do Norte, o novo mecanismo adicionará precisão ao trabalho de fiscalização. “Para nós, são instrumentos de grande valia porque são capazes de fazer levantamentos com fotos aéreas que ajudam muito a caracterizar e fiscalizar as áreas”, relatou.

O treinamento, que termina nesta sexta (30), foi inicialmente concedido a 23 servidores, sendo 20 das superintendências estaduais e três da unidade central da SPU.

Permissões
A utilização de drones pela SPU nas ações de fiscalização dos bens patrimoniais da União foi autorizada em maio de 2018, pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A permissão admite o sobrevoo com o equipamento sem pedido prévio.

A SPU é um dos poucos órgãos federais a receber esse tipo de consentimento, restrito aos órgãos de segurança pública, de polícia, do corpo de bombeiros, da defesa civil, de fiscalização tributária e aduaneira e de combate a vetores de transmissão de doenças.

O próximo passo será obter, do Ministério da Defesa, permissão para realizar aerolevantamento das áreas da União, cumprindo assim rigorosamente os requisitos da legislação que trata do tema. ​