Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2019 > Agosto > Empresas federais lucraram R$ 24,6 bilhões no primeiro trimestre de 2019

Economia

Empresas federais lucraram R$ 24,6 bilhões no primeiro trimestre de 2019

Estatais federais

Melhor resultado foi do BNDES, que fechou os três primeiros meses do ano com ganho de R$ 11,1 bilhões
por publicado: 01/08/2019 11h08 última modificação: 02/08/2019 11h28

Atualização: o valor de R$ 71,8 bilhões refere-se ao resultado líquido das empresas estatais federais em 2018. O valor do 1º trimestre é de R$ 24,6 bilhões. A matéria foi corrigida.

As empresas estatais federais registraram lucro de R$ 24,6 bilhões no primeiro trimestre de 2019, resultado 57,5% maior que o apurado no mesmo período do ano anterior, quando o lucro foi de R$ 15,6 bilhões. 

Os números constam no 10º Boletim das Empresas Estatais Federais, com dados referentes ao 1º trimestre de 2019, divulgado pela Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais do Ministério da Economia nesta quinta-feira (1º/8). Com a venda da Transportadora Associada de Gás S.A. (TAG), o número de estatais diminuiu de 134 para 133 até março deste ano. Após a edição do boletim, houve nova redução do número de empresas, totalizando hoje 130 estatais.

Gráfico: Perfil das empresas estatais federais – Controle acionário direto e indireto
Fonte: Boletim das empresas estatais federais – 10ª edição

 

Entre os grupos analisados, Banco do Brasil, Caixa Econômica, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Eletrobras e a Petrobras – que representam mais de 90% dos ativos totais e do patrimônio líquido das estatais federais – o maior crescimento percentual verificado foi no Grupo BNDES, que saiu de lucro de R$ 2,1 bilhões, no primeiro trimestre de 2018, para R$ 11,1 bilhões no primeiro trimestre de 2019 (aumento de 437%). 

Redução de pessoal

No primeiro trimestre deste ano, na comparação com o mesmo período de 2018, houve redução de 2.408 funcionários no quadro das estatais. As principais reduções ocorreram nos Correios (1.721) e no Banco do Brasil (402).

Parte da redução é resultado da implementação de programas de desligamento voluntário de empregados (PDVs), principal ferramenta de gestão utilizada para a adequação do quadro das estatais. A estimativa de economia na folha de pagamentos é da ordem de R$ 1,1 bilhão.


sadsadsa

Boletim das empresas estatais federais – 10ª edição

Relatório trimestral produzido pela Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais traz um perfil das empresas estatais federais, com dados sobre orçamento, governança e avaliação e evolução da política de pessoal e previdência. 

Baixar
(formato .pdf – 2 MB)